You and me
Im sorry, im not perfect ®
Home Facebook Ask me FAQ
THEME BY ©
back to the first page
THEME BY ©
Theme ©
/ next
Não é o amor que sustenta o relacionamento. É o modo de se relacionar, que sustenta o amor.”
Bruno Mars.  (via motivando)
Acho que a outra metade da minha laranja já virou suco.
Cuidado com as pessoas. Elas não falam tudo o que pensam e nem sempre sentem tudo o que falam.”
(via assanhar)
Ninguém é tão louco que não possa encontrar outro louco que o entenda.”
Percy Allan.  (via ad-orarei)
O silêncio não significa falta de palavras, mas sim o excesso delas. Aprenda a ouvir e compreender o silêncio, pois ele grita verdades que jamais serão ditas.”
Felipe Bueno.   (via sintonizo)
quer saber? cansei, na moral, quer ir? vai mas depois não volta todo arrependido tlg? e tem mais, vai tomar no cu
Felicidade baixinha é melhor. Ninguém sabe, ninguém conspira contra, ninguém inveja.
Nós somos os protagonista da nossa própria vida, então não se arrependa se fizer escolhas erradas.”
IngridS. (via amortizados)
Essas crianças de hoje em dia acham que são pegadoras mas nunca se casaram com um loiro, moreno, careca, cabeludo, rei, ladrão, polícia ou capitão (eu já casei com todos, bjs)
Querido Dean.
Venho por meio desta carta lhe dizer que sou grata. Sim, grata. Por me fazer ver que pessoas aparecem, somem, voltam, e se vão pra sempre. Por ter me feito sorrir naquela noite que eu queria muito chorar, e por me fazer chorar naquela noite em que tudo que eu precisava era um sorriso. Te agradeço por de certa forma ter me feito bem, e por ter me feito mal. Por me enxergar como sou. Exatamente assim. Dramática, exagerada, chorona, insegura, louca e sua. Me ensinou que posso querer me entregar ao ponto de te deixar saber da minha vida, de forma inteira, meu passado, presente e me fazer ver que eu consigo querer alguém em meu futuro. É uma pena que nem tudo que queremos, acontece. Quero te dizer que te odiei todas as vezes que me tratava mal, e todas as vezes que era um idiota comigo, mas te amava todas as vezes que vinha pro meu lado querendo carinho. Eu tinha vontade de acertar em cheio sua bochecha com um soco, todas as vezes que você fazia eu me sentir idiota por te dizer o que sentia. Tinha vontade de te dar um beijo quando era bobo só pra me arrancar um sorriso. Você me disse que iria embora, e eu não pude te pedir pra ficar como fez quando eu queria ir. Tudo bem, eu não queria ir, mas precisava. Você pediu que eu ficasse, e fiquei. Você já foi tantas vezes e voltou. Me mandou ir e eu não fui. Aí que tá a pequena diferença, você vai e volta, e eu? Eu nunca fui. Eu sempre fiquei. Quando você ia fazer merda, onde eu estava? Com você, pedindo que não a fizesse. Quando não estava bem, onde é que eu estava? Do seu lado te consolando e te pedindo pra ficar bem, pra que eu pudesse ficar também. Todas as vezes que pisou na bola, eu sempre permaneci, e sempre aceitei. Talvez esse seja o erro da história, e meu. Eu sempre aceitei. Seus carinhos e socos, suas palavras bonitas e as feias também. Eu sempre aceitei, e não, nada de reconhecimento. Porque se reconhecesse, faria no mínimo, ficar comigo, do meu lado. Você do nada parou de se importar, começou a fazer pouco caso de mim, como se tanto faz tanto fez. Como se eu nunca tivesse significado nada. Eu nem sei mais em que acreditar. Hoje você é assim e amanha é assado. Age positivamente em um dia, e de forma negativa no outro. Desculpa. Desculpa ser tão complexa, eu só queria, que pelo menos dessa vez, tivesse durado. Mas não, não te peço pra ficar. Você nunca quis isso. Se quisesse, não teria ido e voltado um milhão de vezes como fez. Obrigada por me fazer ver que posso carregar alguém dentro de um coração do tamanho da palma da minha mão.”
Eternismo. (via eternismo)
Devia ter arriscado mais, e até errado mais, ter feito o que eu queria fazer.